Como se produz enchentes

22dez08

Os recentes acontecimentos na cidade de Campos no Rio de Janeiro são paradigmáticos sobre a ausência de projeto público de ocupação territorial e suas conseqüências. A Lagoa Feia é considerada a segunda maior lagoa de água doce do Brasil e desempenha importantíssimo papel hidrológico regional, estudada inclusive por Saturnino de Brito.

A construção de diques, abordada neste blog no post sobre os Polders holandeses, é usada em Campos para desestruturar o território. Ao contrário do trabalho coletivo e oito vezes secular da construção das terras nos Países Baixos, as obras irregulares de diques empreendidas por proprietários de terra da região de Campos para, a qualquer custo, expandirem suas propriedades, diminuindo a Lagoa Feia; desrespeitam a formação natural da região. Todo o conhecimento humano acumulado sobre a lagoa e sobre a hidrografia local é desrespeitado em prol da multiplicação das terras privadas de fazendeiros que utilizam o fundo das áreas drenadas da lagoa para suas atividades. Com as chuvas, as águas comprimidas da lagoa se espraiam por estabelecimentos humanos precários, destruindo-os.

Como paradigma da péssima ocupação territorial, voltada para satisfazer o interesse de poucos e a na situação iminente de um grande desastre, Lagoa Feia nos mostra que o projeto deste território não deve ser simplesmente estudado a partir da ótica de uma única ciência. A construção desse espaço, sempre a beira do desequilíbrio, só pode ser feita de forma sistêmica e multidisciplinar. A agricultura pensada em conjunto com a geologia, por sua vez pensada em conjunto com o urbanismo e o parcelamento de terras, por sua vez, projetado em conjunto com a hidrologia, por sua vez pensada com engenharia, a economia, a sociologia, a geografia, a pedagogia, a biologia… Uma ciência deve ser capaz de organizar esses conhecimentos em uma perspectiva humanística para o território que precisa de projeto para ser ocupado.

A instabilidade na região é uma metáfora de toda a terra: todos os lugares são frágeis. 

Outras informações:

Sobre a ocupação da Lagoa Feia, o texto publicado na Folha da Manhã de Aristides Soffiati apresenta um histórico sobre a questão. O registro no site do jornal é gratuito. http://www.fmanha.com.br/#122098692


Post enviado por Gabriel Kogan

Anúncios


No Responses Yet to “Como se produz enchentes”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: