A Natureza Não Existe – Slavoj Zizek

10dez12

“A fraqueza fundamental da resposta ecológica mais usual é sua economia libidinal obsessiva: nós precisamos fazer tudo para que o equilíbrio dos circuitos naturais seja mantido, para que algumas terríveis turbulências não descarrilhem a regularidade estabelecida dos caminhos da natureza. Para nos livrarmos dessa economia obsessiva predominante, precisamos dar um passo adiante e renunciarmos a ideia de ‘balanço natural’, supostamente afetado pela intervenção do homem enquanto a “natureza adoece até a morte”. Homólogo a preposição lacaniana de que a “Mulher não existe”, nós devemos talvez afirmar que a Natureza não existe: não existe como um circuito periódico e balanceado, jogado para fora dos trilhos pela inadvertência humana. A própria noção do homem como um “excesso” em relação ao circuito equilibrado da natureza precisa ser finalmente abandonada. A imagem da natureza como circuito equilibrado é nada mais que uma projeção retroativa do Homem. A lição está na recente teoria do caos: a “natureza” já é, ela mesma, turbulenta e desequilibrada; sua “regra” não é a oscilação em equilíbrio ótimo sobre um ponto constante de atração, mas uma caótica dispersão dentro dos limites do que a teoria do caos chama de “atrator”, uma regularidade dirigindo o próprio caos.”

Slavoj Zizek in Looking Awry: An Introduction to Jacques Lacan through Popular Culture. 1992

Traduzido e postado por Gabriel Kogan

Anúncios


No Responses Yet to “A Natureza Não Existe – Slavoj Zizek”

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: