Archive for outubro, 2015

Da igreja medieval aos marchands nova-iorquinos dos anos 60; dos mecenas renascentistas às feiras internacionais em Basel: a relação entre dinheiro e arte não é uma novidade. Refletir sobre a produção de valor nesse meio não significa analisar o mercado da arte em função de sua existência, mas – sobretudo – em função da sua […]


Não existem critérios para a arte contemporânea. Assim fica fácil. Não há mais críticos, críticos são curadores, curadores contratados de galerias e de instituições, instituições dependem de verbas inclusive das galerias, jornalistas são amigos de artistas, artistas (e curadores) não querem receber críticas e todo mundo tem seu rabo preso. As exposições mostram qualquer coisa, o povo […]


No jargão jornalístico, conteúdos editorados são aqueles que servem para exprimir a opinião política e pessoal dos editores. A apuração dos fatos sucumbe à construção de conceitos que representam os interesses (basicamente econômicos) da publicação. Nada de fatos, nada de investigação; apenas a opinião pré-estabelecida, o preconceito reproduzido. A Veja é um exemplo caricato disso. […]