Archive for the ‘infra-estrutura e metrópole’ Category

O encontro era às 10 horas da manhã no hotel que ele estava hospedado em São Paulo. Antes da hora e depois de centenas de e-mails com assessoras, lá estava eu sozinho com um pequeno aparato de gravação. O próprio já estava no lobby com telefone celular em mãos. Entre muitas de suas famas e […]


Com exceção do problemático livro do francês Yves Bruand, “Arquitetura Contemporânea no Brasil” de 1981, nenhum autor se aventurou a escrever o que seria uma ‘história da arquitetura brasileira’. Talvez esta fosse uma missão grandiosa demais, não apenas pela qualidade da arquitetura produzida no Brasil no século XX, mas também pela quantidade e complexidade de […]


O artigo a seguir foi publicado editado no Fórum dos Leitores do Jornal Estado de S. Paulo do dia 20 de Setembro de 2010. É um texto que virou carta. Algumas semanas depois, escrevi outro texto sobre o mesmo assunto que foi publicado integralmente na seção Tendências/Debates do Jornal Folha de S. Paulo do dia […]


Ilha Bela

31maio09

“A história do porto de São Sebastião, sonhado há tanto tempo e que nunca foi feito: um recinto natural com 3 km de bacia de navegação com calado natural de 30 ou 40 metros (de profundidade), bacia de revolução protegidos por uma ilha extraordinária e pelo continente. Não existe no mundo nada tão predisposto. Não […]


“Na época em que as cidades se desenvolviam em torno da praça central e em que as pessoas viviam dentro dos limites das sociedades regionais, a praça era o núcleo das comunicações. A catedral, o castelo e a prefeitura eram tanto os locais espirituais como os símbolos da vida urbana. Hoje, as comunicações libertaram a cidade […]


29.mai.2000 “Eu preparei um pequeno discurso. E talvez eu deva começá-lo com uma anedota. Pode ser uma anedota estranha, mas vir da Holanda e ter nascido em 1944 significa paradoxalmente que eu fui ignorante na questão do Judaísmo até os 21 anos. Na minha juventude, no meu país, era completamente incomum apontar as origens religiosas […]


“Um mundo em que a técnica ocupa uma posição tão decisiva como acontece atualmente, gera pessoas tecnológicas, afinadas com a técnica. Isto tem a sua racionalidade boa: em seu plano mais restrito elas serão menos influenciáveis, com as correspondentes conseqüências no plano geral. Por outro lado, na relação atual com a técnica existe algo de […]